Interlocução entre Rudolf Otto, Carl Gustav Jung e Victor White

Rodrigo Pereira Ceccon, Adriano Furtado Holanda

Resumo


Em 1917, Rudolf Otto publica o livro O Sagrado propondo o reconhecimento do aspecto irracional como fundamento e mantenedor da manifestação religiosa por meio de analogias e antinomias que ele chamou de numinoso. Posteriormente, numa conferência realizada em 1937, Carl Gustav Jung faz uso do termo numinoso para elucidar o que ele entendia por religião, reconhecendo esta como a observação sobre o que arrebata a consciência, ampliando desta forma, a ideia de numinoso para a prática e o estudo clínico. Victor White, o principal colaborador de Jung dentro do campo teológico, tece uma crítica às posições de Otto e Jung frente a compreensão do fenômeno religioso, afirmando que estes apresentam uma unilateralidade no reconhecimento de que somente a esfera irracional fundamenta a religião. Este artigo propõe uma discussão teórica em torno das reflexões de White sobre a ideia do numinoso, em contraponto as posições de Otto e Jung.

Palavras-chave


Rudolf Otto, Carl Gustav Jung, Victor White, Religião.

Texto completo: HTML PDF


Universidade Federal do Rio de Janeiro - Centro de Filosofia e Ciências Humanas - Instituto de Psicologia

Av. Pasteur, 250 - Pavilhão Nilton Campos, Praia Vermelha - Urca
CEP: 22290-902 - Rio de Janeiro-RJ
Portal Capes
Minerva

Indexação
Lilacs
Pepsic
Index Psi Periódicos (BVS - Psi)
Latindex
Scopus
Clase
Psicodoc
Redalyc
PsycINFO

Apoio:
UFRJ/Capes/CNPq/FAPERJ