Clivagem: a noção de trauma desestruturante em Ferenczi

Jôse Lane Sales, Regina Herzog de Oliveira, Fernanda Pacheco-Ferreira

Resumo


Considerando os impasses da clínica psicanalítica contemporânea e visando esclarecer algumas modalidades de padecimento psíquico, incompreensíveis se tomados exclusivamente a partir da lógica do mecanismo do recalque e da foraclusão, o objetivo principal do presente artigo é analisar o processo de clivagem do Eu. Defendemos a hipótese de que tal processo não se restringe ao fenômeno da perversão, estando diretamente relacionado à vivência de um trauma, sinalizando a existência de conteúdos incapazes de ingressar no circuito representacional. Para tanto, analisaremos os principais escritos de Freud e de Ferenczi que abordam a clivagem do Eu e discutiremos sua incidência na clínica.

Palavras-chave


Clivagem do eu; Clínica psicanalítica; Trauma; Recalque.

Texto completo: PDF HTML


Universidade Federal do Rio de Janeiro - Centro de Filosofia e Ciências Humanas - Instituto de Psicologia

Av. Pasteur, 250 - Pavilhão Nilton Campos, Praia Vermelha - Urca
CEP: 22290-902 - Rio de Janeiro-RJ
Portal Capes
Minerva

Indexação
Lilacs
Pepsic
Index Psi Periódicos (BVS - Psi)
Latindex
Scopus
Clase
Psicodoc
Redalyc
PsycINFO

Apoio:
UFRJ/Capes/CNPq/FAPERJ