Diferenças e desigualdades em um projeto de educação a distância

Eliana Quartiero, Henrique Caetano Nardi

Resumo


Neste artigo propomos discutir como o funcionamento de verdades acerca da diferenciação do humano normatiza e conforma o fazer pedagógico e vai se apresentar como desafio quando buscamos transformar o cotidiano escolar, o qual tem se apresentado como discriminatório e pouco permeável às diferenças. Utilizamos como campo de pesquisa a implantação do curso Gênero e Diversidade na Escola, oferecido pelo Ministério da Educação como formação continuada para professoras/es da rede pública de ensino, o qual tem como objetivo modificar preconceitos e divulgar uma concepção de direitos humanos. Exploramos as naturalizações de verdades que, nesse processo, constroem subjetividades e identidades, demarcam diferenças que servem de base para desigualdades. Percebemos redes de poder relacionadas às formas como compreendemos os processos de escolarização, às posições atribuídas às/aos docentes e às diferentes legitimidades do centro e da periferia como posições de enunciação.

Palavras-chave


Formação continuada de professores; Educação a distância; Políticas públicas; Diversidade sexual; Direitos humanos.

Texto completo: PDF HTML


Universidade Federal do Rio de Janeiro - Centro de Filosofia e Ciências Humanas - Instituto de Psicologia

Av. Pasteur, 250 - Pavilhão Nilton Campos, Praia Vermelha - Urca
CEP: 22290-902 - Rio de Janeiro-RJ
Portal Capes
Minerva

Indexação
Lilacs
Pepsic
Index Psi Periódicos (BVS - Psi)
Latindex
Scopus
Clase
Psicodoc
Redalyc
PsycINFO

Apoio:
UFRJ/Capes/CNPq/FAPERJ